Pular para o conteúdo principal

FALTAM DENTISTAS EM PORTUGAL, VEJA ONDE!




Já pensou exercer a sua profissão em Portugal? Algumas regiões  têm falta de médicos dentistas!

Um estudo da Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) contabilizou mais de 10 mil profissionais com inscrição ativa, no entanto, muitos estão a trabalhar fora do país e a distribuição geográfica dos médicos dentistas não é equilibrada.

As conclusões do estudo “Os Números da Ordem” mostram que há 1.509 médicos dentistas a exercer, no estrangeiro e mais de 9.000 a exercer, exclusivamente, em Portugal. Há ainda dentistas que trabalham em Portugal e em outros países, ao mesmo tempo, e quase 900 inscritos não exercem a profissão.

A Organização Mundial de Saúde recomenda, para os países ocidentais, um rácio de 1 dentista por 1.500 a 2.000 habitantes.

Na análise dos números, foi igualmente concluído que a distribuição geográfica dos médicos dentistas não é equilibrada, havendo regiões com um rácio bastante abaixo do recomendado, nomeadamente, o Porto, Viseu Dão-Lafões, Coimbra, Trás-os-Montes, Cávado e Lisboa. A região do Alentejo, também apresenta número insuficiente de profissionais, com destaque para o Baixo Alentejo onde há 1 médico dentista para cada 2.875 habitantes.

O Bastonário da OMD salienta que, apesar do número de estudantes portugueses ter reduzido no último ano, o número de alunos de medicina dentária aumentou, influenciado também pelo aumento dos estudantes estrangeiros.

O reconhecimento internacional do ensino da medicina dentária em Portugal tem sido cada vez maior. Muitos escolhem o país para fazer a sua formação, regressando depois ao país de origem, não vindo entáo a ser membros ativos da OMD e a exercer a profissão.

Noticia e estudo “Os Números da Ordem” no site da Ordem Médicos Dentistas

Veja também a matéria Portugal precisa de Dentistas

Para reconhecimentos, transferências e ingressos acadêmicos fale conosco! www.emportugalconsultoria.com.br



Postagens mais visitadas deste blog

Conversão de escala das notas escolares brasileiras às portuguesas

                   Quando um aluno brasileiro transferir  ou  for reconhece suas competências acadêmicas em Portugal, precisará juntar aos documentos a equivalência entre as notas brasileiras e portuguesas.                                      O que regulamenta esta questão é a Portaria 699/2006 do Ministério da Educação Português, que aprova as tabelas comparativas entre o sistema de ensino português e outros sistemas de ensino. Equivalência entre sistemas de ensino de Portugal e Brasil                      O parâmetro de notas na conversão das escalas portuguesas e brasileira, serão as notas praticadas no sistema de avaliação de cada escola. Exemplificando;                 A escola X tem a escala de avaliação de 0 à 10 e tem como média para aprovação a nota 6.                 Então a escala de identificação de notas a ser usada será a escala 6 à 10.                                 Supondo-se que um aluno do ensino médio brasileiro tenha tirado not

Declaração de Responsabilidade Financeira

             A maioria dos estudantes, quando vai estudar em outro país, precisa apresentar, entre outros documentos, a justificativa de como será feita a sua subsistência durante o tempo que estará estudando.             Uma das formas de comprovar a subsistência é a declaração de responsabilidade financeira, feita por uma pessoa próxima que tenha condições de dar suporte financeiro para o estudante. É uma declaração da pessoa que será o responsável por pagar as despesas durante o tempo em que o estudante estiver no exterior. A declaração de responsabilidade financeira  deve conter os dados (RG e CPF) da pessoa que irá sustentar o estudante durante o período que estiver no exterior, os dados do estudante (RG, CPF e Passaporte), a data, o destino e o objetivo da viagem e o grau de parentesco entre o financiador e o estudante. Essa carta deverá ser assinada e autenticada em cartório e ser acompanhada de documentos comprobatórios da condição do declarante. Pode ser a declaraç

Como escrever uma CARTA DE MOTIVAÇÃO para mestrado, doutorado ou bolsa de estudos.

                       É frequente que as universidades portuguesas solicitem carta de motivação como parte da candidatura a uma graduação ou pós-graduação (mestrado ou doutorado). Para a candidatara a bolsa de estudos a carta é obrigatória e pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso.          A  Carta de Motivação  é o documento mais personalizado da candidatura – uma chance única de apresentar aos avaliadores quem você é além do seu currículo e do seu histórico acadêmico. É uma chance de oferecer  informações  relevantes e interessantes sobre sua trajetória e provar que é a pessoa certa e mais motivada entre os candidatos concorrentes.          É necessário escrever uma carta que seja concisa, objetiva e convincente no seu propósito de “vender-se”.   Este é um modelo campeão; Gustavo Torres, de 17 anos, foi aprovado em cinco universidades de excelência dos Estados Unidos: Columbia, Duke, Harvard, MIT e Stanford. VEJA AQUI a tradução da carta de motivação apresenta