Pular para o conteúdo principal

Trabalhar na União Europeia

Se você entrou por Portugal e pretende estabelecer-se noutro país da UE onde a profissão que quer exercer está regulamentada, tem de obter o reconhecimento integral das suas qualificações antes de poder começar a trabalhar.
Uma vez obtido o reconhecimento das suas qualificações, poderá aceder à profissão e exercê-la nas mesmas condições que os nacionais e outros residentes desse país que tenham obtido as suas qualificações no mesmo.
Se a sua profissão não está regulamentada no seu país de origem, e não disponha de diplomas, certificados ou documentos de filiação a uma associação profissional necessários, tendo então de provar por outros meios que exerceu essa profissão durante, pelo menos, dois dos últimos 10 anos.
A condição relativa a um ano de exercício não se aplica se a profissão ou a formação conducente à profissão estiver regulamentada. Segundo a Diretiva 2005/36/EC da União Europeia.
Na UE, existe um sistema de qualificações profissionais para sete profissões ditas setoriais:
Enfermeiras
Parteiras
Médicos
Dentistas
Farmacêuticos
Arquitetos e
Veterinários
São profissões que se beneficiam do Reconhecimento automático.
No caso dos advogados, o mesmo acordo que concede aos advogados brasileiros a prerrogativa de exercer a profissão em Portugal permite-lhes também acessar o mercado europeu.
Alguns países possuem acordos de reciprocidade com as universidades portuguesas; Albânia, Angola, Argentina, Azerbaijão, Brasil, Bulgária, Cazaquistão, Chile, Chipre, Colombia, Cuba, Eslováquia, Estados Unidos, Estônia, Federação Russa, Geórgia, Hungria, Letônia, Lituânia, Moçambique, Moldavia, Peru, República Checa, República Dominicana, Romênia, Santa Sé, Tailandia, Turquia, Ucrania e Venezuela.

A EmPortugal consultoria realiza os processos de equivalência acadêmica. www.emportugalconsultoria.com.br.



Postagens mais visitadas deste blog

Conversão de escala das notas escolares brasileiras às portuguesas

Quando um aluno brasileiro transferir  ou  for reconhece suas competências acadêmicas em Portugal, precisará juntar aos documentos a equivalência entre as notas brasileiras e portuguesas.

                     O que regulamenta esta questão é a Portaria 699/2006 do Ministério da Educação Português, que aprova as tabelas comparativas entre o sistema de ensino português e outros sistemas de ensino.

Equivalência entre sistemas de ensino de Portugal e Brasil

                O parâmetro de notas na conversão das escalas portuguesas e brasileira, serão as notas praticadas no sistema de avaliação de cada escola.
Exemplificando;
                A escola X tem a escala de avaliação de 0 à 10 e tem como média para aprovação a nota 6.                 Então a escala de identificação de notas a ser usada será a escala 6 à 10.                 Supondo-se que um aluno do ensino médio brasileiro tenha tirado nota 8,5 na avaliação de uma disciplina no sistema brasileiro, a nota deste a…

Declaração de Responsabilidade Financeira

A maioria dos estudantes, quando vai estudar em outro país, precisa apresentar, entre outros documentos, a justificativa de como será feita a sua subsistência durante o tempo que estará estudando. Uma das formas de comprovar a subsistência é a declaração de responsabilidade financeira, feita por uma pessoa próxima que tenha condições de dar suporte financeiro para o estudante. É uma declaração da pessoa que será o responsável por pagar as despesas durante o tempo em que o estudante estiver no exterior. A declaração de responsabilidade financeira deve conter os dados (RG e CPF) da pessoa que irá sustentar o estudante durante o período que estiver no exterior, os dados do estudante (RG, CPF e Passaporte), a data, o destino e o objetivo da viagem e o grau de parentesco entre o financiador e o estudante. Essa carta deverá ser assinada e autenticada em cartório e ser acompanhada de documentos comprobatórios da condição do declarante. Pode ser a declaração de IR aceita pela Receita Federal, De…

Governo português cria visto específico para imigrantes à procura de trabalho

«Grandes Opções do Plano para 2020 prevêem ainda a extensão do prazo da autorização de residência temporária de um para dois anos e da sua renovação, por períodos sucessivos, de dois para três anos. Promete ainda a criação de um equivalente ao cartão de cidadão para estrangeiros.

Uma das medidas das Grandes Opções do Plano para 2020 é a criação de um visto temporário, de curta duração, que permita a entrada legal em Portugal de imigrantes que querem vir à procura de emprego. Esta era uma das medidas reivindicadas por várias associações já que atualmente quem quer vir trabalhar para Portugal tem que recorrer ao artigo 88, depois de estar em território nacional, e este procedimento pode levar meses a concluir-se.
A outra novidade é a extensão do prazo da autorização de residência temporária de um para dois anos e da sua renovação, por períodos sucessivos, de dois para três anos. Está prevista ainda a criação de um equivalente ao cartão de cidadão para estrangeiros.
Em relação ao Serviço de…