Pular para o conteúdo principal

Comprovação para visto de estudante dos meios de subsistência em Portugal



            Muito bem, agora você já está matriculado na universidade para fazer sua licenciatura, mestrado ou doutorado. A primeira fase de sua vinda para Portugal já está feita.

            Agora você precisará encaminhar o seu visto de estudante, para isso você precisará comprovar, além da matrícula, os  meios de subsistência.  Abaixo vamos lhe ajudar a entender o que é isso e como você deve comprovar a sua capacidade de se sustentar em Portugal.
            Os meios de subsistência são os valores que devem dispor os cidadãos estrangeiros para a entrada e permanência em território nacional, designadamente para a concessão de vistos e prorrogação de permanência  e concessão e renovação de títulos de residência.
            São os recursos estáveis e regulares  que sejam suficientes para as necessidades essenciais do  cidadão estrangeiro e, quando seja o caso, da sua família, designadamente para alimentação, alojamento e cuidados de saúde e higiene.
            A referência é a retribuição mínima mensal portuguesa (580 euros em 2018), cada agregado familiar deve garantir os seguintes valores:
a) Primeiro adulto 100 % do salário mínimo (580 euros).
b) Segundo ou mais adultos 50 % cada ( 290 euros).
c) Crianças e jovens com idade inferior a 18 anos e filhos maiores a cargo 30 % cada (174 euros).
            A legislação informa que “O requerente de visto de residência para estudo ou para participação num programa de intercâmbio de estudantes deve dispor de meios de subsistência determinados por um período de 12 meses ou pelo número de meses de permanência do requerente, quando participe em programa de intercâmbio, podendo os rendimentos ser reduzidos a metade quando comprove ter assegurados, por qualquer forma, o alojamento ou até 90 % quando comprove ter também assegurada a alimentação.”
            O Comprovativo da existência de meios de subsistência em Portugal pode ser feito das seguintes maneiras:
           1- Declaração de responsabilidade emitida pelos pais, com firma reconhecida em cartório e último Imposto de Renda.
            Neste caso, somente pais, avós, irmãos e marido/esposa, devidamente comprovados é que podem ajudar no complemento dos meios de subsistência.  A renda   familiar   aceita é de no mínimo   € 1.500,00 mensais.
            2- Se for o próprio a manter-se, deverá esclarecê-lo por escrito, juntando documentos que o fundamentem (Informações de poupança, rendas certas, alugueis, etc).
            Mesmo que o aluno tenha a intenção de trabalhar e sustentar-se em Portugal, deverá comprovar a capacidade de subsistência.
                                                                                                             www.emportugalconsultoria.com.br

Comentários

  1. O estudante tem que ter disponível em portugal 1500 euros x 12?
    Seria esse valor?
    Outra dúvida: se o estudante for casado, podem os pais ainda serem responsavres pelo meio de subsistência?

    ResponderExcluir
  2. ▪︎ Se o PAI do ALUNO que for assinar, emitir a declaração de responsabilidade financeira, tiver alguma pendência de malha fina junto à RECEITA Federal do BRASIL, isto pode ser um obstáculo???
    ••• Mesmo que s pendência junto à RECEITA FEDERAL seja não por erro do emitente pai do aluno, que resolverá a pendência depois???

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Conversão de escala das notas escolares brasileiras às portuguesas

Quando um aluno brasileiro transferir  ou  for reconhece suas competências acadêmicas em Portugal, precisará juntar aos documentos a equivalência entre as notas brasileiras e portuguesas.

                     O que regulamenta esta questão é a Portaria 699/2006 do Ministério da Educação Português, que aprova as tabelas comparativas entre o sistema de ensino português e outros sistemas de ensino.

Equivalência entre sistemas de ensino de Portugal e Brasil

                O parâmetro de notas na conversão das escalas portuguesas e brasileira, serão as notas praticadas no sistema de avaliação de cada escola.
Exemplificando;
                A escola X tem a escala de avaliação de 0 à 10 e tem como média para aprovação a nota 6.                 Então a escala de identificação de notas a ser usada será a escala 6 à 10.                 Supondo-se que um aluno do ensino médio brasileiro tenha tirado nota 8,5 na avaliação de uma disciplina no sistema brasileiro, a nota deste a…

Declaração de Responsabilidade Financeira

A maioria dos estudantes, quando vai estudar em outro país, precisa apresentar, entre outros documentos, a justificativa de como será feita a sua subsistência durante o tempo que estará estudando. Uma das formas de comprovar a subsistência é a declaração de responsabilidade financeira, feita por uma pessoa próxima que tenha condições de dar suporte financeiro para o estudante. É uma declaração da pessoa que será o responsável por pagar as despesas durante o tempo em que o estudante estiver no exterior. A declaração de responsabilidade financeira deve conter os dados (RG e CPF) da pessoa que irá sustentar o estudante durante o período que estiver no exterior, os dados do estudante (RG, CPF e Passaporte), a data, o destino e o objetivo da viagem e o grau de parentesco entre o financiador e o estudante. Essa carta deverá ser assinada e autenticada em cartório e ser acompanhada de documentos comprobatórios da condição do declarante. Pode ser a declaração de IR aceita pela Receita Federal, De…

Governo português cria visto específico para imigrantes à procura de trabalho

«Grandes Opções do Plano para 2020 prevêem ainda a extensão do prazo da autorização de residência temporária de um para dois anos e da sua renovação, por períodos sucessivos, de dois para três anos. Promete ainda a criação de um equivalente ao cartão de cidadão para estrangeiros.

Uma das medidas das Grandes Opções do Plano para 2020 é a criação de um visto temporário, de curta duração, que permita a entrada legal em Portugal de imigrantes que querem vir à procura de emprego. Esta era uma das medidas reivindicadas por várias associações já que atualmente quem quer vir trabalhar para Portugal tem que recorrer ao artigo 88, depois de estar em território nacional, e este procedimento pode levar meses a concluir-se.
A outra novidade é a extensão do prazo da autorização de residência temporária de um para dois anos e da sua renovação, por períodos sucessivos, de dois para três anos. Está prevista ainda a criação de um equivalente ao cartão de cidadão para estrangeiros.
Em relação ao Serviço de…