Pular para o conteúdo principal

Portugal precisa de dentistas?

         

            A Ordem dos Médicos Dentistas de Portugal publicou, no início de 2017, um relatório muito interessante sobre o número de profissionais existentes, sua distribuição no país e os dados comparativos a outras cidades europeias.

           Alguns dados importantes;

          O total de médicos dentistas registrados na Ordem é de 10.688 e destes 9.271 estão ativos. Entre 2010 e 2016 houve o crescimento de 36,8% no número de profissionais, e o aumento de 256 % no número de inativos. Estes inativos são profissionais que suspenderam sua atuação em território nacional ou se afastaram definitivamente.

          Dos profissionais ativos, 77% possui menos de 45 anos e 59,1% são mulheres e somente 445, ou seja 4,79% são brasileiros.

          Um dado importante para quem pensa em residir em Portugal é a densidade de médicos dentistas por habitante. A média de Portugal é de 1153 hab./prof., no entanto nas regiões do Baixo além Tejo e Lezíria do Tejo é de mais de 2.751 habitantes por profissional. A região do Alentejo, Oeste e Beira Baia todas possuem mais de 2000 habitantes por médico dentista. O que é uma referência de onde existe mais potencial de mercado.

          Considerando-se os países europeus, o país que tem menor incidência de médicos por habitante é Malta, com 2479/habitante por profissional e o com maior incidência é no principado de Liechtenstein, com 771 hab./prof.

          Fazendo um comparativo com o Brasil, o Conselho Federal de Odontologia do Brasil divulgou no 28 Congresso Internacional de odontologia de São Paulo que no Brasil estão 19% dos dentistas do mundo. Segundo dados do início de 2016 são 280.306 profissionais, algo como 734 hab./profissional. Considerando-se a distribuição reconhecidamente desigual pelo território nacional e a renda média do Brasileiro, não é de estranhar o grande número de profissionais buscando oportunidades ao redor do mundo.

            Para os profissionais interessados em buscar oportunidades fora do Brasil, Portugal é sempre um destino considerado, principalmente pela facilidade do Idioma e acordos com o Brasil .

         Para poder atuar em Portugal o profissional necessita fazer a equivalência em uma universidade portuguesa. Todos os cursos e pós-graduações contam pontos e é necessário o mínimo de 4.500 horas curriculares. Caso não as tenha, poderá fazer a complementação horária aqui.

         Para quem deseja atuar no País, é preciso registrar-se na Ordem dos Médicos dentistas. Para isso  é necessário ter licenciatura reconhecida em Portugal e residência válida.

          Caso tenha interesse em atuar em Portugal, fale conosco, esta é nossa especialidade. Acesse nosso site www.emportugalconsultoria.com,br e fale conosco.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Conversão de escala das notas escolares brasileiras às portuguesas

Quando um aluno brasileiro transferir  ou  for reconhece suas competências acadêmicas em Portugal, precisará juntar aos documentos a equivalência entre as notas brasileiras e portuguesas.

                     O que regulamenta esta questão é a Portaria 699/2006 do Ministério da Educação Português, que aprova as tabelas comparativas entre o sistema de ensino português e outros sistemas de ensino.

Equivalência entre sistemas de ensino de Portugal e Brasil

                O parâmetro de notas na conversão das escalas portuguesas e brasileira, serão as notas praticadas no sistema de avaliação de cada escola.
Exemplificando;
                A escola X tem a escala de avaliação de 0 à 10 e tem como média para aprovação a nota 6.                 Então a escala de identificação de notas a ser usada será a escala 6 à 10.                 Supondo-se que um aluno do ensino médio brasileiro tenha tirado nota 8,5 na avaliação de uma disciplina no sistema brasileiro, a nota deste a…

Declaração de Responsabilidade Financeira

A maioria dos estudantes, quando vai estudar em outro país, precisa apresentar, entre outros documentos, a justificativa de como será feita a sua subsistência durante o tempo que estará estudando. Uma das formas de comprovar a subsistência é a declaração de responsabilidade financeira, feita por uma pessoa próxima que tenha condições de dar suporte financeiro para o estudante. É uma declaração da pessoa que será o responsável por pagar as despesas durante o tempo em que o estudante estiver no exterior. A declaração de responsabilidade financeira deve conter os dados (RG e CPF) da pessoa que irá sustentar o estudante durante o período que estiver no exterior, os dados do estudante (RG, CPF e Passaporte), a data, o destino e o objetivo da viagem e o grau de parentesco entre o financiador e o estudante. Essa carta deverá ser assinada e autenticada em cartório e ser acompanhada de documentos comprobatórios da condição do declarante. Pode ser a declaração de IR aceita pela Receita Federal, De…

Governo português cria visto específico para imigrantes à procura de trabalho

«Grandes Opções do Plano para 2020 prevêem ainda a extensão do prazo da autorização de residência temporária de um para dois anos e da sua renovação, por períodos sucessivos, de dois para três anos. Promete ainda a criação de um equivalente ao cartão de cidadão para estrangeiros.

Uma das medidas das Grandes Opções do Plano para 2020 é a criação de um visto temporário, de curta duração, que permita a entrada legal em Portugal de imigrantes que querem vir à procura de emprego. Esta era uma das medidas reivindicadas por várias associações já que atualmente quem quer vir trabalhar para Portugal tem que recorrer ao artigo 88, depois de estar em território nacional, e este procedimento pode levar meses a concluir-se.
A outra novidade é a extensão do prazo da autorização de residência temporária de um para dois anos e da sua renovação, por períodos sucessivos, de dois para três anos. Está prevista ainda a criação de um equivalente ao cartão de cidadão para estrangeiros.
Em relação ao Serviço de…