Pular para o conteúdo principal

Conversão de escala das notas escolares brasileiras às portuguesas


                   Quando um aluno brasileiro transferir  ou  for reconhece suas competências acadêmicas em Portugal, precisará juntar aos documentos a equivalência entre as notas brasileiras e portuguesas.
               
                     O que regulamenta esta questão é a Portaria 699/2006 do Ministério da Educação Português, que aprova as tabelas comparativas entre o sistema de ensino português e outros sistemas de ensino.

Equivalência entre sistemas de ensino de Portugal e Brasil

    

                O parâmetro de notas na conversão das escalas portuguesas e brasileira, serão as notas praticadas no sistema de avaliação de cada escola.

Exemplificando;

                A escola X tem a escala de avaliação de 0 à 10 e tem como média para aprovação a nota 6.
                Então a escala de identificação de notas a ser usada será a escala 6 à 10.
               
                Supondo-se que um aluno do ensino médio brasileiro tenha tirado nota 8,5 na avaliação de uma disciplina no sistema brasileiro, a nota deste aluno no sistema avaliativo português será 16.


Equivalência das notas adotada pelo sistema Português


Tabela classificatória de 4 à 10
     


Tabela classificatória de 5 à 10

  




 Tabela classificatória de 6 à 10


    
Tabela classificatória de 7 à 10




           Quando um aluno precisar apresentar a conversão das notas entre o sistema brasileiro e português, deverá solicitar à escola ou à universidade, uma declaração de quais são os critérios de notas e avaliação mínima para aprovação em sistema alfa numérico, convertendo os conceitos, caso este seja o sistema de avaliação.

                Este documento deverá ter o carimbo oficial da entidade e reconhecimento de firma. Eventualmente será necessário também o apostilamento.


Comentários

  1. Está desatualizada esta tabela sobre o Ensino Básico no Brasil. O ensino fundamental é dividido em duas fases, denominado Ensino Fundamental I (1º a 5º anos) e Ensino Fundamental II (6º a 9º anos). E o Ensino Médio nunca teve 4º ano. Continua do 1º ao 3º. http://portal.mec.gov.br/docman/julho-2013-pdf/13677-diretrizes-educacao-basica-2013-pdf/file ------ Pode-se consultar aqui: https://www.mec.gov.br/ (Em breve o governo protofascista o extinguirá).

    ResponderExcluir
  2. O 4º ano do Ensino Médio é em casos de ensino técnico.

    ResponderExcluir
  3. Poderiam disponibilizar tabela classificatória de 0 a 10 por gentileza? Só consta aqui de 4 a 10?

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Olá! vcs podem colocar a escala do ensino superior?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Declaração de Responsabilidade Financeira

             A maioria dos estudantes, quando vai estudar em outro país, precisa apresentar, entre outros documentos, a justificativa de como será feita a sua subsistência durante o tempo que estará estudando.             Uma das formas de comprovar a subsistência é a declaração de responsabilidade financeira, feita por uma pessoa próxima que tenha condições de dar suporte financeiro para o estudante. É uma declaração da pessoa que será o responsável por pagar as despesas durante o tempo em que o estudante estiver no exterior. A declaração de responsabilidade financeira  deve conter os dados (RG e CPF) da pessoa que irá sustentar o estudante durante o período que estiver no exterior, os dados do estudante (RG, CPF e Passaporte), a data, o destino e o objetivo da viagem e o grau de parentesco entre o financiador e o estudante. Essa carta deverá ser assinada e autenticada em cartório e ser acompanhada de documentos comprobatórios da condição do declarante. Pode ser a declaraç

Como escrever uma CARTA DE MOTIVAÇÃO para mestrado, doutorado ou bolsa de estudos.

                       É frequente que as universidades portuguesas solicitem carta de motivação como parte da candidatura a uma graduação ou pós-graduação (mestrado ou doutorado). Para a candidatara a bolsa de estudos a carta é obrigatória e pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso.          A  Carta de Motivação  é o documento mais personalizado da candidatura – uma chance única de apresentar aos avaliadores quem você é além do seu currículo e do seu histórico acadêmico. É uma chance de oferecer  informações  relevantes e interessantes sobre sua trajetória e provar que é a pessoa certa e mais motivada entre os candidatos concorrentes.          É necessário escrever uma carta que seja concisa, objetiva e convincente no seu propósito de “vender-se”.   Este é um modelo campeão; Gustavo Torres, de 17 anos, foi aprovado em cinco universidades de excelência dos Estados Unidos: Columbia, Duke, Harvard, MIT e Stanford. VEJA AQUI a tradução da carta de motivação apresenta